quarta-feira, 15 de maio de 2019

Road trip pelos Balcãs - Parte III (Lagos Plitvice, Croácia)

Fizemos a viagem entre Zagreb e os Lagos Plitvice na manhã do nosso segundo dia de viagem. Para quem vá numa época mais quente sugiro que passe a noite já na zona dos lagos, para conseguir começar o passeio mais cedo. 
Nós comprámos os bilhetes online uma semana antes (custam 100kunas por pessoa, à volta de 13,50€) mas quando lá chegámos percebemos que isso não traz vantagem nenhuma, porque não havia fila específica para vouchers, pelo que tivemos que gramar com a fila normal de compra de bilhetes para recolher os nossos.
O parque tem duas entradas, a 1 e a 2. Nós fomos para a 2, porque foi para onde tínhamos comprado bilhetes. Dica de muito valor: depois de muito mal informados (e de esperas inúteis), descobrimos que havia mais uma bilheireira na secção 2 do parque (na entrada 2), já mais perto do início dos percursos pedestres (procurem no mapa do parque, que é enorme. dá para descarregarem a aplicação para o telemóvel, com várias sugestões de percursos, uns mais longos e outros mais curtos). A bilheteira da secção 2 tem uma fila muito menor que as outras (basicamente porque não está assinalada e implica avançar mais um pouco no parque, aparecendo onde já não achamos que existirão bilheteiras). 
As filas são grandes, os diversos pontos do parque (nomeadamente de início dos passeios) não estão bem assinalados, e entre chegar ao parque e começar efetivamente a visita levámos mais de 1 hora.
































Os programas que existem são estes (são menos do que parece, pelo que percebi a diferença entre os A, B e C, por um lado, e os E, F e H é apenas o ponto de partida que é diferente). Nós fizemos o H (igual ao C) porque incluía andar tanto do comboio como de barco, e visitar tanto aos lagos superiores como inferiores - estes últimos são mais famosos (demorámos à volta de 4 horas).
Não sei se foi por termos apanhado a semana da Páscoa ortodoxa, mas havia imensa gente no parque, o que tornou a nossa viagem de barco muito pouco prazerosa. O barco atravessa o lago a cada 30 minutos, sendo que já havia uma fila enorme de pessoas à espera quando lá chegámos. Entre gente penetra que não sabe respeitar filas, conseguimos não ter espaço para entrar no primeiro barco (depois de uns 20 minutos de espera). Conclusão: tivemos que esperar mais meia hora, espremidos a meio de tanto povo, de pé (nem quero imaginar este cenário debaixo de 30 e tal graus), pelo próximo.
O parque tem pelo menos duas zonas com alguns restaurantes, mas dá jeito levar qualquer coisa na mochila para comer (e beber). As casas de banho também não abundam, convém aproveitar as poucas que aparecem.



Apesar do excesso de povo e das filas (inclusive para pagar o estacionamento) o parque é maravilhoso e merece muito, muito a pena ser visitado. Há lagos e cascatas de uma beleza surpreendente. Então quando o sol bate na água, é qualquer coisa de mágico.








Em termos de alojamento, ficámos no Rooms Ruhige Lage 1, que recomendamos. O espaço é agradável, o nosso quarto era espaçoso e moderno, o pequeno almoço era bom, e a relação qualidade preço também. Cá está a vista da nossa janela:


Não ficámos fãs da grastronomia dos Balcãs (apesar de tudo o que lemos, os supostos grelhados muitas vezes sabem a óleo ou o peixe fresco é frito, e o marisco é muito caro). Em toda a viagem, apenas houve duas refeições que me encheram as medidas: uma delas foi neste dia, no Bistro & Caffe Plum, onde comi um risotto de trufas que (apesar de ter tamanho de amostra) estava ótimo. Para sobremesa partilhámos um cheesecake, que também não estava nada mau (as sobremesas no geral também foram uma desilusão, eram muito em versão bolo quando achávamos que eram tartes, e tinham muitos cremes - não fazem, de todo, o meu género).


1 comentário: