quinta-feira, 1 de março de 2018

Doença da altitude

Se, por um lado, estou mega entusiasmada com a viagem ao Peru, por outro estou cheia de medo de reagir mal à altitude. Tenho estado a ler sobre o assunto e não é brincadeira.
Para quem não sabe, o corpo humano pode reagir muito mal à falta de oxigénio acima de 2400 metros de altitude. Sintomas simpáticos tais como dores de cabeça fortes, náuseas, vómitos, febre...enfim, tudo o que apetece ter, principalmente quando se está de férias num sítio paradisíaco do outro lado do mundo, onde  ainda por cima muito provavelmente não regressaremos na vida.
Tanto quanto me recordo, o ponto mais alto onde terei estado foi a 1800 metros de altitude, na Madeira (o Pico Ruivo). Era criança quando lá fui e não me recordo, mas sei que correu bem (os meus tios foram uns corajosos e levaram uma data de sobrinhos - éramos perto de 10 crianças ao todo - a fazer uma caminhada até lá, bem puxada, por sinal, que as subidas não são simpáticas, mas foi um fim-de-semana que ainda hoje recordo com saudade e um sorriso no rosto).
O ponto mais alto que está previsto no nosso roteiro no Peru é a 3800 metros, em Puno, onde devemos chegar no 4º dia da nossa viagem (medo, muito medo).
E - como se isto fosse pouco - entretanto descobri que um dos dias livres que vamos ter - o 9º dia - fica perto de umas montanhas que são tão espetaculares quanto isto:

Imagem daqui.

Imagem daqui.

É conhecida pela Montanha arco-íris (ou montanha das sete cores) e fica em Vinicunca. Eu não sei quanto destas cores será photoshop, mas adorava descobrir com os meus próprios olhos. Problema: esta beleza fica a 5400 metros de altitude. Coisa pouca, portanto.
Mesmo sem sintomas, não deve ser uma caminhada nada fácil de se fazer. Estava a ler uma descrição sobre a caminhada que dizia "One step of hike feels like 100m run". Ui!
Ao que consta, a única forma de se evitar a doença da altitude é mascar umas folhas de coca (mesmo, não estou a gozar) e fazer a subida gradualmente (parando vários dias em lugares com altitudes intermédias), mas como não vamos ter grandes hipóteses de fazer isso, vamos tentar fazer uma visita ao Pico Ruivo, já que vamos à Madeira este fim-de-semana (isto se o temporal que assola este país permitir), para o nosso corpo ter um "cheirinho" de altitude. E depois é torcer para que corra tudo pelo melhor. E quando chegarmos ao ponto mais alto do nosso roteiro, a 3800 metros, logo decidiremos se arriscamos o passeio à Montanha Arco-Iris. Torçam por nós, sim?

10 comentários:

  1. Não fazia ideia! Da maneira que sou, aposto que ia ter essa doença. Nem a passear a pessoa se livra destas maleitas! :)

    ResponderEliminar
  2. Cada um reagirá da sua maneira ao soroche, mas acho que não precisas de te preocupar muito, és jovem fazes exercício físico (não fumas?). Portanto tens todos os ingredientes para resistir sem problemas. O único sintoma que eu tive, das duas vezes em que estive sujeita a essas altitudes foi o cansaço - sim, nota-se que o oxigénio não abunda e simplesmente não consegues correr 10 metros sem ficar exausta. A minha mãe, fumadora sedentária aos 56 anos, teve algumas dores de cabeça - para além do cansaço - que passaram com as soroche pills que vendem em qlq farmácia.
    É evitar carnes vermelhas, alcool, descansar bem e ir bebendo chá de coca. Tudo tranquilo! Quando vão?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para não variar cá estás tu para me tranquilizar 😊!
      Do que li os conselhos que dão são os mesmos que falaste, espero mesmo que seja suficiente. A ideia de perder um dia de passeios mal disposta ou doente é má demais.
      Vamos de 3a a oito, dia 13. Está quaseeee 😊!
      Beijinho

      Eliminar
  3. Percebo os teus medos, de facto, o nosso corpo não está habituado para lidar com estas mudanças bruscas de altitude. Mas vá, mantém o pensamento positivo! Isso é o mais importante :) Vai tudo correr pelo melhor :)

    ResponderEliminar
  4. Olá Gelatina,
    Tenta ir ao teu médico de família ou ver se a Consulta do Viajante abrange estas situações. Mais vale prevenir e ir preparada :)
    Tudo a correr bem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é algo que me tenha ocorrido antes mas não é má ideia não senhora. Vou pesquisar.
      O senhor namorado vai dizer que sou uma exagerada 😛!
      Beijinho e obrigada!

      Eliminar
  5. Nunca tinha ouvido falar dessa montanha arco iris. Que brutal! Que fotos espectaculares que deve dar para fazer! :))

    ResponderEliminar
  6. A montanha parece linda mas, conhecendo-me, sei bem que não iria arriscar... não sei se segues a Alice Trewinnard, mas ela falou num dos weekly vlogs deste problema, porque ela e o namorado sofreram com isto na última viagem que fizeram!

    ResponderEliminar
  7. Que maravilha! Tens que aproveitar o dia livre para conhecer essas montanhas lindas!

    ResponderEliminar
  8. Bem, pelas fotos, deve ser mesmo lindo!
    Mesmo que não subas tudo, não consegues nem ir lá ver?

    Beijocas

    ResponderEliminar