quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Convite aceite


Andávamos (eu e o senhor meu namorado) a pensar nas férias deste ano quando recebemos  o convite de casamento da minha amiga russa, que vai acontecer no verão, na sua terra natal. Depois de termos refletido sobre toda a logística implicada, decidimos aceitar o convite.
E já que lá vamos (e que não é um país que fique ali ao virar da esquina), e que a localização do casamento o permite ("pormenor" da máxima importância, já que a Rússia é gigantesca), não nos vamos ficar pela experiência cultural de assistir a um casamento entre uma russa e um francês*. Vamos aproveitar e ficar uma semana, para conhecer Moscovo e São Petersburgo. Oh yeah!


*Conheci esta amiga quando vivi em França, em 2011. A nossa empatia foi imediata. Na altura éramos ambas solteiras e sonhávamos com o nosso príncipe encantado (ela mais do que eu, para dizer a verdade, já que eu estava numa fase em que só se atravessavam sapos no meu caminho). Entretanto eu voltei para Lisboa, em 2012 (e conheci o senhor meu namorado), e ela foi para Paris, onde conheceu o atual noivo.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Day off


Cresci na bendita da ignorância, a pensar que o dia de Carnaval era feriado. Até que entrei na dura realidade do mundo laboral e me apercebi que tinha passado toda uma vida no engano. 
É o primeiro ano, em cinco de trabalho, que tenho tolerância de ponto no Carnaval (ieiiiii). Tenho que admitir que a importância que dou a esta data é pouca ou nenhuma (e o meu dia vai muito provavelmente ter tanto de carnavalesco como de natalício, ou seja: nada), mas um dia a meio da semana sem horários para cumprir e com a possibilidade de não fazer nenhum (ou nada que vá para além de ginásio, comer, passear e vegetar no sofá), ainda para mais quando não estava a contar com ele, vai saber pela vida. Ah pois vai.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Do fim-de-semana

Com uma prova de corrida longa marcada para domingo, o sábado foi dedicado à ronha. A manhã foi passada entre leituras e séries (começámos a ver Empire e estou a gostar muito) e à tarde fomos ao cinema ver o The revenant.



Não é o meu género preferido de filme, eu já ia preparada para isso, mas sendo o grande candidato ao prémio de melhor filme do ano, eu fazia questão de ver. A interpretação do Dicaprio está absolutamente brutal, o filme é muito intenso, muito bem feito. Mas uma história para me cativar a 100% tem que ter um pouco mais de mistério e imprevisibilidade, e este filme, ainda para mais contando uma história baseada em factos reais, acaba por ter pouco dessa vertente. Mas está muito bom.

No domingo, passados oito dias desde a Meia Maratona do Funchal, aqui a maluquinha de serviço decidiu que era giro ir fazer os 20 km de Cascais. Quando o despertador tocou mais cedo do que toca nos dias de semana pensei "A isto se chama bater no fundo". Mas lá fui ter com os dois amigos (e colegas de corrida) que me acompanharam. 
Mais uma vez os senhores do IPMA falharam, e estava um dia lindo de sol. A prova começou na baía de Cascais e foi até ao Guincho. Começou com uma subida do demo, continuou com muito vento na ida, e sem vento nenhum (e um sol abrasador) na maioria do regresso. Das quatro provas que já fiz entre os 20 e os 21 km, esta foi sem dúvida a mais difícil (ainda por cima a única coisa que nos deram durante a corrida foi água. para 20 quilómetros!). A partir do 15º quilómetro comecei inclusive a dizer que detesto correr (é mentira, hoje já gosto outra vez) e já só queria que os meus amigos, que estavam a ser uns autênticos queridos comigo, me deixassem fazer a minha velocidade mais calma e fossem à vida deles (é bom ter alguém a puxar por nós, mas detesto sentir que estou a empatar, e não estava a conseguir acompanhar a pedalada deles). 
O que vale é que quando chegamos ao fim, seja de 10 km ou de 20 km, o pensamento é sempre o mesmo: apesar de tudo, valeu a pena. 

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Coincidências...?


Nunca fui de acreditar em coincidências, mas o facto é que de um lado tenho a minha racionalidade que me aponta claramente num sentido (Porto. Porto. Porto.), e do outro tenho uma imensidão de (demasiadas) coincidências (?) que indicam todas no sentido inverso (Lisboa. Lisboa. Lisboa).
Oh vida, porque é que és tão complicada?

Perdoem-me este tom misterioso dos últimos tempos (se há coisa que me chateio noutros blogues são posts misteriosos), mas a minha honestidade a 100% para com vocês aqui no blogue implicaria arriscar-me a magoar (ainda mais) pessoas demasiado importantes para mim.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Desilusões desta vida


Perdi a conta a quantas vezes posei para fotógrafos ao longo dos 21 km da Meia Maratona do Funchal. Fartei-me de sorrir e acenar, literalmente, para os fotógrafos que apontavam a câmara para mim. E não é que não há maneira de encontrar nem uma foto que o comprove? Que esforço ingrato, senhores!


Valeu-me uma das minhas amigas, que decidiu fazer a Mini Maratona e lá nos captou no final da corrida. (é que, parecendo que não, não é todos os dias que se celebra um aniversário com 21 km nas pernas, e eu sou moça que gosta de ter tudo o que é momento importante bem registado fotograficamente)

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Então e prendas?



Esta blusa linda da Asos, que fazia parte da wishlist que forneci ao senhor meu namorado.


As amigas que foram à Madeira comigo juntaram-se e ofereceram-me este colar da Calvin Klein, que é tão a minha cara. Não estava nem um bocadinho à espera e amei!

Prendinha dos pais. Da Swatch Bijoux.

Prenda comprada com o dinheiro que os avós deram (namorei este género de mala, literalmente, durante anos).

Ainda recebi uma camisola super gira da Zara, prenda do mano e cunhada (não a encontro no site). 
E ainda tive direito a uma surpresa 100% personalizada que me deixou completamente boquiaberta (e, mais uma vez, é em alturas como esta que eu lamento imenso não ter um blogue 100% anónimo, para poder despejar para aqui tudo o que me vai na alma neste momento).

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Fim-de-semana de aniversário - o relato

Saímos de Lisboa na sexta-feira ao final da tarde: eu, o senhor meu namorado, duas amigas (e colegas de trabalho e corrida) e o marido de uma delas. Já jantámos com os meus pais nesse dia e acabámos a noite em Câmara de Lobos, a tomar a bela da poncha.


O sábado foi dedicado ao passeio.

Cabo Girão

Eira do Serrado, com vista para o Curral das Freiras.

Zona Velha (Funchal)

O domingo, dia do meu aniversário, dificilmente poderia ter corrido melhor. Acordei e vi que nos esperava um dia lindo de céu aberto e temi o pior (tenho uma dificuldade muito grande em correr debaixo de sol). 
O primeiro gesto fofinho não demorou a acontecer: uma das minhas amigas fez um dorsal a brincar, a desejar-me os parabéns.


A corrida começava às 10h, e o céu continuava aberto, e a temperatura a rondar os 20ºC. Começámos a correr e eu sentia-me super bem. Estava uma viraçãozita, que ajudou imenso a que eu não tenha passado por nenhum momento de absoluto sofrimento. Tive sempre companhia, consegui conversar, ouvir música, apreciar a paisagem, e sentir-me feliz por poder estar ali, feliz e com saúde, a festejar o meu aniversário duma forma como nunca tinha feito antes.
Chegámos ao fim depois de 2h08m (e a minha aplicação de corrida marcava 21,50km, em vez dos supostos 21,10, o que fez com que tenha conseguido uma média abaixo dos 6min/km, que é coisa para me deixar para lá de contente).


Depois disso fomos para casa dos meus pai, festejar o meu aniversário com eles e os meus avós, e com comidinha da boa a acompanhar.


Tive um dia mesmo, mesmo feliz. Não podia ter pedido mais nada, mesmo. Deitei a cabeça na almofada, já em Lisboa, de coração cheio. Tão cheio!


P.S. Eu volto mais tarde com a parte das prendinhas ;).

domingo, 31 de janeiro de 2016

Diz que já são 29

(yeah, right...)


E o programa de festas para a celebração dos 29 inclui uma (tentativa de) fazer a Meia Maratona do Funchal, acompanhada do senhor meu namorado e de mais três amigos, seguida de almoço com os mesmos amigos e a família mais espetacular do universo. 
Já que tem mesmo que ser (esta coisa de estar quase a chegar aos 30), que seja festejado em grande!

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Fim-de-semana de aniversário


Se bem me recordo, a última vez que comemorei o meu aniversário na Madeira foi há 11 anos, quando atingi a maioridade (credo, parece que já foi há uma vida!). Entretanto, quando me apercebi que a Meia Maratona do Funchal deste ano ia decorrer no meu dia de aniversário, achei que era o pretexto ideal para voltar a comemorar esta data por lá.
Vou ao final do dia, e não vou sozinha, levo o senhor meu namorado e três amigos (continentais) que alinharam nesta doideira de ir correr à Madeira. Vai ser tão giro!
Bom fim-de-semana, gente!

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Desgraça no sítio do costume

Eu já não estava (mesmo!) a contar comprar nada nos saldos. Primeiro, porque tenho alguma aversão à confusão que se instaura nas lojas nesta altura. Segundo porque os meus tamanhos desaparecem sempre num ápice nas lojas online. Acontece que tenho uma wishlist na loja que mais me desgraça a carteira - aka Mango - e quando lá fui deitar o olho aos saldos mais recentes (tudo de 50% para cima) encontrei algumas das peças que tinha debaixo de olho, todas com um preço bastante acessível, pelo que decidi dar uma(s) prenda(s) de aniversário (ligeiramente antecipada) a mim própria.


Já experimentei este macacão na loja e gostei muito, mas como é básico decidi esperar pelos saldos. Quase que já não o apanhava, mas ontem lá estava ele, um xs disponível a 19,99€.

Este vestido é outro que eu já tinha perdido a esperança de levar para casa, mas voltou a estar disponível, por 12,99€.

Tops brancos dão sempre um jeitão no verão, e este estava a 4,49€.

Um incentivo para treinar nunca é demais. Estas leggins custaram 11,49€.

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Mais do mesmo

Então tu deixaste a Madeira com 17 anos de idade para ir viver para Lisboa? Deixaste Lisboa, no início de 2011, para ir viver (com estranhos) para França e, no fim desse ano, para ir para Londres, e agora fazes todo este filme com uma mudança de 300km?

Foto tirada no verão de 2011 (as saudades que eu tenho desse ano!)

A diferença está toda naquilo que esta mudança implica perder. A vinda para Lisboa tinha que ser. Era isso ou ficar na Madeira a tirar um curso escolhido "só porque sim", e não aquele que eu (achava que) queria. A ida para França foi tão, mas tão fácil. Estava numa fase de depressão, tinha acabado um namoro de 10 anos, a licenciatura, não tinha emprego. O que é que eu tinha a perder? Nada. E a ida para Londres foi uma brincadeira de amigas, com prazo para acabar desde o momento em que lá chegámos. 
Mas esta agora, esta vai deixar-me longe de 90% das amizades que fiz nos últimos anos. Vai roubar-me as minhas rotinas de que tanto gosto. Vai tirar-me da minha zona de conforto. Vai colocar-me num ambiente de trabalho que, de acordo com fontes seguríssimas, não é tão bom como o que tenho agora (também, há que admitir que era muito difícil melhorar). Mas vai também afastar-me de coisas que, parecendo que não, me têm feito mal ultimamente. Coisas essas que aqui a masoquista de serviço não tem tido a devida força de se livrar. E só por isso já devia valer a pena. Mas, junto disso, ainda me vai trazer mais uma série de coisas boas: vou ver o meu amor feliz da vida outra vez por estar de regresso ao norte, vamos arranjar uma casa linda (estamos tão fartinhos do nosso cubículo cheio de humidade), vou descobrir uma cidade que, pelo pouco que conheço, adoro, e vou poder começar a fazer planos a longo prazo, planos esses que têm estado postos de parte até agora, por causa de toda a provisoriedade que caracterizou os últimos anos. 
Pelo que tem tudo para ser uma mudança para lá de espetacular. Só falta é eu convencer-me disso.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Do fim-de-semana

O S. Pedro deu tréguas. E nós aproveitámos.

Corrida matinal no sábado.  16km debaixo de sol e um sofrimento enooorme.

Passeios de domingo por Lisboa.


Gordices no Mercado da Ribeira (crumble de amêndoa com morangos e gelado de iogurte grego. tão, tão bom!)

A Graça, ao anoitecer.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

E na altura em que começas a planear a sério uma viagem à Ásia

Sulzdal (imagem retirada daqui).

Recebes um convite (da minha querida amiga russa que fiz quando estive a viver em França, em 2011) para ir a um casamento...na Rússia. 
Para além de eu estar cheia de saudades da minha amiga, deve ser uma experiência deveres interessante assistir a um casamento entre uma russa e um francês, na Rússia, mas a logística da coisa demove-me um bocado, tenho que confessar. 
And again... decisions, decisions!

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Decisions, decisions...

Andamos a pensar nas férias deste ano e, para não variar, gostávamos de fazer uma viagem em grande (estamos a fazer por aproveitar ao máximo para fazer estas viagens antes de termos filhos, porque depois a logística vai complicar bastante). E eu já andei a ver uns pacotes promocionais que me deixaram o olho a brilhar.



Imagens rapinadas da internet.

Esta combinação Dubai + Tailândia, por exemplo, é coisinha para me deixar a suspirar profundamente. A ver vamos se a coisa se concretiza...

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

És pouco vaidosa, és..







Mais vaidades dos últimos tempos e outras partilhas de extrema relevância aqui, no Instagram do blogue.