segunda-feira, 30 de março de 2015

Constatações

Sou uma pessoa mais feliz no horário de Verão.

domingo, 29 de março de 2015

Fim-de-semana desportivo

Eu gosto de correr. Uns dias mais do que noutros mas eu tiro mesmo prazer daquilo. Quando vou sozinha, levo o mp3 e vou ouvindo música e pensando na vida (e dificilmente abdico do rio ou mar como companhia). Quando vou acompanhada e/ou em corridas oficiais, distraio-me a apreciar as pessoas que vão passando por mim (sempre fui muito apreciadora) e vou desfrutando da sensação tão boa que é a de estarmos ali todos com o mesmo objetivo.
Este fim-de-semana foi produtivo neste campo. No Sábado, como tive companhia, fui conhecer o Jamor e correr ali nas redondezas. Estava muito calor, a energia não era muita, fizemos 8,5 km que pareceram 20.


Já hoje juntei-me ao meu grupo e fomos à Corrida Solidária da APAV onde, apesar do calor, conseguimos bater um recorde de tempo: 10km em 55h30m. 
(e há-de chegar o dia em que eu me lembro de desligar a aplicação do telemóvel no momento em que passo a meta...hoje ainda não foi o dia. lembrei-me quase 1m30s depois. é tanta emoção que é a última coisa em que penso. sou uma verdinha nestas coisas, é o que é!).


sexta-feira, 27 de março de 2015

Eu bem que digo que a distância lhe faz bem


(Na sequência do post anterior) Diz-me ele:
- Estive a pensar e se quiseres podemos ir a Londres no feriado de Maio. Ou a outro sítio que queiras. [outro sítio? o meu cérebro parou no momento em que ele disse a palavra mágica: Londres]


Para quem não sabe - ainda só devo ter dito para aí 1384 vezes aqui no blogue - eu adooooro Londres. Já ele ainda não conhece e nunca, até hoje, demonstrou grande interesse em conhecer, por mais que eu fale maravilhas da cidade. Se ele ia acabar por ir de qualquer jeito nem que fosse para eu deixar de chateá-lo com o assunto? Muito provavelmente. Mas partindo dele a iniciativa o meu entusiasmo é ainda maior, claro.

E sim, a distância faz-lhe (faz-nos) bem mas já vai chegando. Oh semana mais longa, esta!

quinta-feira, 26 de março de 2015

O tipo de conversa que não se deve ter nunca - em circunstância alguma! - com uma mulher (ou pelo menos comigo)


Ele: Estive a pensar uma coisa... mas depois falamos.
Eu: Depois não! Diz agora porque eu não aguento a curiosidade.
Ele: Mais logo digo.
Eu: O quê?! É bom que seja uma coisa mesmo boa (tipo férias ou comida) senão estás tramado.
[se é para me fazer sofrer é bom que seja por algo que valha muito a pena]


Nota: A conversa foi tida por sms a meio da tarde, sendo que ele está a 400 km de distância de mim e o "logo" a que ele se refere é a conversa que temos tido por telefone ao final da noite. Isto faz-se?

quarta-feira, 25 de março de 2015

Está escolhida


Vai ser no dia 20 de setembro. No Porto.  Em grupo. Vai ser lindo (ou não)!


E ainda nem consigo acreditar que consegui convencer praticamente todo o meu grupo de corrida a alinhar nesta aventura (na primeira tentativa ignoraram-me, na segunda perguntaram se estava louca, mas tanto insisti que passámos de duas a seis pessoas. oh yeah!).

terça-feira, 24 de março de 2015

Medricas, eu? Que ideia!


Colega: Então, já começaste a ler o thriller que te emprestei, que estavas super curiosa para ler?
Gelatina: Errrr... pela descrição que me fizeram aquilo parece ser mesmo assustador, e como sabes estou sozinha em casa esta semana. Quando voltar a ter companhia para dormir pego no livro, sim?

segunda-feira, 23 de março de 2015

11 factos sobre mim

Fui nomeada pela minha querida ML do blogue Três quartos de tudo (do qual gosto muito, já agora) para um desafio que achei muito giro, pelo que decidi responder.

Aqui estão as respostas à 1.ª parte do desafio (confesso que tive preguiça para fazer a 2.ª, pelo menos para já): revelar 11 factos sobre mim. 


1. Cheguei a Lisboa em 2004 para ir para a faculdade, jurando que no último dia de curso regressava à Madeira sem pensar duas vezes. Seis anos passados desde o final do curso, continuo sem intenção (nem vontade, há que admitir) de regressar, apesar de adorar a minha ilha.
2. Fui (muito) mais feliz a servir cafés e bolos em Londres (cidade pela qual tenho uma paixão assolapada) do que sou a trabalhar enquanto inspetora tributária.
4. Detesto conduzir, e recuso-me terminantemente a fazê-lo se não for num carro de mudanças automaticas (e não, não me orgulho minimamente disto).
5. Não gosto de bebidas alcoólicas (excepção feita à sangria e à bela de uma poncha de maracujá da minha terra).

Eu na Madeira (foto tirada em 2014)

6. Nunca gostei de sair à noite (é capaz de haver uma ligação entre este facto e o anterior. digo eu...). 
7. Estudei Direito, mas entusiasmo-me muito mais com áreas como línguas estrangeiras e nutricionismo.
8. Sou viciada em atividade física (principalmente aulas de dança e corrida) mas nos tempos de escola era sempre a penúltima a ser escolhida para fazer parte da equipa dos colegas nas aulas de educação fisica (isto se a colega mais gordinha não faltasse à aula, senão era mesmo a última).
9. Não consigo andar sem brincos nem sem relógio. Sinto-me despida sem qualquer um deles.
10. Pratiquei ténis de mesa durante oito anos (e nunca fui grande atleta).
11. Resisto muito bem a salgados, mas sou completamente dependente de doces (chocolate principalmente).

Quem tiver vontade de responder ao mesmo desafio no seu blogue, be my guest, e depois avisem para ir ler, sim?

domingo, 22 de março de 2015

Fins-de-semana difíceis



Passados a alternar entre mimos de senhor namorado, leituras e muitas calorias. (e com mais umas belas centenas de quilómetros percorridos entre Lisboa e Braga)

quinta-feira, 19 de março de 2015

Definição de mãe galinha


É aquela com quem não costumas falar todos os dias ao telefone mas basta ela saber que estás sozinha em casa e ele são sms e telefonemas de manhã e à noite, como se eu ficasse automaticamente com 12 anos de idade só porque tenho senhor namorado longe.
Ontem à noite tentou disfarçar e mandou o meu pai ligar em vez dela, para parecer que não tinha nada a ver com o assunto, como se eu não a conhecesse há 28 anos. 

Mas, aqui que ela nos lê, a verdade é que acho esta preocupação dela demasiado querida para pensar em chatear-me com ela. e então limito-me a rir quando lhe atendo o telefone e digo qualquer coisa do género "sim, continuo viva...".

Quanto a senhor namorado, a operação correu bem. Muito obrigada a toda a gente que comentou o último post a dar força, são umas queridas =)!

terça-feira, 17 de março de 2015

Semana agitada


Senhor namorado vai ser operado esta tarde (coisa simples. ao que consta o chato é mesmo o pós-operatório. mas quanto à cirurgia eu sou capaz de estar mais incomodada do que ele, que é a pessoa mais relaxada à face da Terra). Em Braga. E eu, que não consegui tirar a semana toda para ficar por lá com ele, vou passar a semana para cima e para baixo, entre comboios. Não me posso queixar de monotonia nos próximos dias...

E lá vou eu relembrar uma sensação da qual não tenho saudades nenhumas: a de quão grande parece o nosso T1 quando ele não está lá comigo.

sábado, 14 de março de 2015

Começar assim o fim-de-semana


Com (muito) menos energia que na semana passada (ia cheia de boas intenções de bater novos recordes e acabei por ir quase arrastada) mas em óptima companhia, um sol maravilhoso, e uma vista, mais uma vez, espectacular.


E o que eu gosto de experimentar percursos novos? Gosto tanto!

sexta-feira, 13 de março de 2015

Dramas domésticos (ou do jogo sujo, muito sujo)


Acordo com a neura (típica daqueles dias do mês). Visto umas calças que estão a gritar por um ferro de engomar. Sendo que passar a ferro é a tarefa doméstica que eu mais abomino à face da terra, e senhor namorado até se desenrasca bem, começo a fazer-me ao piso, a ver se ele se oferece para passá-las [é verdade, sou o pesadelo de qualquer sogra tradicional que se preze]. Ignora-me à cara podre, pelo que sou obrigada a recorrer ao plano B: peço-lhe com todas as letras para passá-las a ferro. Ele lá acedeu, todo mal disposto (era isso ou continuar a aturar-me...venha o diabo e escolha).
Enquanto me fazia o favor, era ouvi-lo na cozinha a descarregar frustrações: 
- Tu não penses que isto fica assim! A tua mãe vai saber disto!
- Não faz mal, ela já sabe que sou um caso perdido e gosta de mim na mesma. 
- Tens razão, vou contar à minha mãe.... e à minha avó!
O quê????!!!!


Anda uma pessoa a fazer um trabalho tão bom ao longo de quase três anos para ela gostarem de mim e ele quer destruir isso em segundos. Mas jura a pés juntos que me ama. Está certo...

quinta-feira, 12 de março de 2015

Uma das 10001 vantagens destes dias de Primavera


Dar uso às sabrinas. E levar a passear as minhas Josefinas que foram prenda de Natal e ainda mal viram a luz do dia.

quarta-feira, 11 de março de 2015

Sabes que se passa algo de muito sério contigo


Quando, no espaço de um mês, consegues a proeza de gastar mais dinheiro com inscrições em corridas* do que em roupa. 

*coisa que sempre me fez alguma confusão, e até continua a fazer, confesso - pagar para correr -, excepto se o cariz da corrida for solidário.

domingo, 8 de março de 2015

Fim-de-semana de Primavera


As saudades que eu tinha dum fim-de-semana de sol com temperaturas acima dos 20ºC.
Foram dois dias em que percorri mais de 20km (entre corridas e passeios). Em que comi para aí 500.000 calorias (fomos à Casa da Dízima aproveitar a Restaurant Week e ficámos fãs: o pão. a simpatia dos empregados. o espaço. o prato principal. muito, muito bom.). Em que voltei a sentir o cheiro (delicioso) a mar. A deixar o sobretudo em casa. A desejar com todas as forças que esta Primavera antecipada tenha vindo para ficar.