quarta-feira, 25 de maio de 2016

Enquanto o caracinhas do reembolso do IRS tarda a chegar

Uma pessoa vai sonhando.


Calças Massimo Dutti

(e porque a minha roupa de ginásio nova merece umas sapatilhas à altura...)
Sapatilhas Nike

Carteira Lanidor (que combina tão bem com os conjuntinhos de verão)

[E depois lembra-se que ainda tem dois quartos por mobilar e acorda... mas ainda com vontade de cometer loucuras.] 

terça-feira, 24 de maio de 2016

É oficial, vim viver para o paraíso

Na semana passada, na véspera de ir a Lisboa, comentei com uma amiga que trabalha comigo que gostava de levar uns docinhos que deixasse o pessoal lá em baixo maravilhado. Ela levou-me à Confeitaria Nova Real, onde escolhi uma série de bolinhos em miniatura, e fui apresentada à marca Paupério, de bolachas e biscoitos. Comprei um pacotinho de biscoitos de milho, e outro de limão, e já estou a ver quando é que lá volto para provar todas as restantes. Que maravilha.






Se o norte não é o paraíso, deve andar bem lá perto =).

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Do fim-de-semana

O fim-de-semana começou em Lisboa e acabou no Porto, e foi tão bom.

No sábado aproveitei o pequeno-almoço para matar saudades duma amiga querida e do Choupana Caffé. Ainda tivemos esperança que o S. Pedro nos brindasse com um dia igual ao da véspera para podermos dar início à nossa época balnear, mas ele não estava para aí virado e, com os amigos todos fora de Lisboa, fizemo-nos à estrada de regresso.

No caminho decidimos parar na Mealhada para comer o belo do leitão. Não é propriamente a comida mais light do mundo, mas ahh como eu gosto daquilo! [não liguem à marca escura no meu top, sim? andei na garagem em Lisboa a arrumar o resto das tralhas que ainda lá tinha deixado, para trazer finalmente para cima e sujei-me]

No domingo voltámos à Tasquinha do Caco. Desta vez provei o hambúrguer de frango e, para sobremesa, um brownie que vinha quente e húmido, desfazia-se na boca e estava uma delícia. E como o dia estava lindo, decidimos ir conhecer os jardins do Palácio de Cristal.




sexta-feira, 20 de maio de 2016

Acabar a semana da melhor maneira


A trabalhar em Lisboa. E desta vez não vim sozinha. O senhor meu namorado veio comigo e só regressamos amanhã (e aproveitámos para fazer a grande viagem inaugural do nosso carro novo. já temos um carro de 5 lugares, já podemos dar boleia a pessoas, ieii!). 
Ele dizia que não gostava muito de Lisboa, e foi por ele que fomos para o Porto (não pelo Porto em si, mas porque era a única forma de, mantendo o mesmo trabalho, ficarmos mais perto da família dele que está em Braga) mas eu bem vi os olhos de felicidade dele quando nos estávamos a aproximar de Lisboa, depois de ter estado quase dois meses sem cá pôr os pés. Vai-se a ver e ainda vai descobrir que gosta disto tanto ou mais do que eu =).

[Pode parecer que não, mas eu estou feliz no Porto. E não, não queria voltar para Lisboa (mais não seja só de pensar na trabalheira que a mudança deu!). Mas não podia ter deixado passar aquele brilho nos olhos do senhor meu namorado sem me meter com ele e perguntar se já podemos voltar =).]

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Pequenos ódios de estimação do mundo dos blogues e instagrams


- Já não posso com a expressão "Tá tranquilo, tá favorável". Que enjoo, senhores.
- Eu sigo muitas fits, porque me inspiram e, acima de tudo, me dão vontade de mexer o rabo mesmo nos dias em que estou mais preguiçosa. E sim, se tivesse o corpo de algumas também me apeteceria estar sempre a mostrá-lo mas caramba, será que sempre que lhes dá para tirar uma foto acontece a coincidência de estarem praticamente (ou até mesmo) de roupa interior? Nunca calha vestirem, sei lá, um casaco ou umas calças ou outra excentricidade do género?
- Os posts misteriores... ai os posts misteriosos. Não querem contar, não contem, mas então não contem nada. É que estar com coisas a lançar suspense e depois não desenrolar a história é coisa que me consome. Que é que querem, sou cusca e isso faz-me mal!
E por agora é só. Agradecida pelo vosso tempo neste momento de desabafo.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Sogra e ervas aromáticas

Foto tirada daqui.

Atendendo ao que por aí há, posso dizer que tenho bastante sorte com a minha sogra. É verdade que, a julgar pela quantidade de doces que dá à neta, me vai dar muitas dores de cabeça quando eu tiver filhos, mas retirando esses pormenores nos quais tento não pensar muito, a verdade é que eu não posso dizer que gosto disto ou daquilo e é vê-la tratar logo de arranjar maneira de me providenciar com um exemplar.
No outro dia estávamos a conversar ao pé dos vasos de ervas aromáticas que ela tem lá em casa e eu comentei que agora que temos varanda em casa mal podia esperar para ter as minhas plantas. Ora bem, nesse dia já fui para casa com um vaso com hortelã e menta. Já no fim-de-semana passado fomos lá almoçar e ela tinha nos arranjado seis vasos com: orégãos, tomilho, cebolinho, louro e outras duas ervas aromáticas que convém que eu descubra quais são (esqueci-me entretanto) porque senão não sei o que fazer com elas =).
Está a ficar tão compostinha a nossa varanda!

terça-feira, 17 de maio de 2016

Aquela experiência que te faz repensar toda a tua vida


No fim-de-semana fui ao centro comercial com a minha cunhada e sobrinha - que está a três meses de fazer três anos - e saí de lá a achar que se calhar era boa ideia adiar a ideia de ter filhos...para uma próxima vida.


[Não acho que a grande maioria das birras seja culpa da educação dos pais e recuso-me a julgar seja que pai for. Basta lembrar-me de como o meu irmão mais velho sempre foi de fazer cenas enquanto eu era uma paz de alma, tendo ambos recebido exatamente a mesma educação. Sim, a educação ajuda mas também é preciso ter sorte com os filhos que nos "calham na rifa". E eu tenho um medo desgraçado de parir crianças diabólicas...oh se tenho!]

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Do fim-de-semana

O sol voltou, o Benfica foi campeão...a alegria foi tanta que até me consigo abstrair do facto de ter ficado meia adoentada.

No sábado aproveitámos a visita à família do senhor namorado para ir lanchar à Spirito, em Braga. Adoro o café e os gelados deles mas em relação aos bolos começo a achar que o aspeto é melhor do que o sabor. O bolo de chocolate com queijo não era nada de especial, o cheesecake (não sendo maravilhoso) é bom.

E ontem fomos celebrar o regresso da primavera a Matosinhos. A vaidade de estar a estrear as minhas sapatilhas novas era demasiada para não lhes dar o protagonismo numa fotografia.

Quanto ao almoço, voltei a seguir uma sugestão desta menina e fomos ao Dominó Tasca Japonesa e adorámos. Pedimos uma sangria de frutos vermelhos (eu eu sou tão fraquinha que fiquei zonza durante mais de duas horas), um prato de 26 peças de sushi escolhidas pelo chef e um prego de atum. Eu até sou um pouco avessa a grandes invenções no que toca a sushi (gosto de peças simples) mas este estava ótimo, fresco e nada enjoativo.
Enquanto esperámos pela comida, fomos desafiados para jogar dominó (tem um jogo em cada mesa, alusivo ao nome do restaurante) e aceitámos o desafio. Quando íamos a meio do jogo do desempate...chegou a comida e ficámos sem um vencedor =).

Para sobremesa, o senhor que nos estava a servir (que falou imenso connosco e era uma simpatia) perguntou-nos apenas se gostávamos de chocolate e de morangos. Como respondemos que sim, ele disse que a sobremesa estava escolhida, para não nos preocuparmos mais com o assunto. Chegou ao pé de nós e derramou esta calda maravilhosa de chocolate em cima duma bola de gelado. Estava tão, mas tão bom!



Depois do almoço descalçámos os sapatos e passeámos na praia. E soube-me pela vida.
Pode ser já fim-de-semana outra vez?

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Da felicidade nas pequenas coisas


Um café bebido na companhia de alguns dos novos colegas que me pôs a pensar que, se ainda não me sinto mais integrada, é por culpa mim, que não tenho aproveitado as oportunidades de convívio para conhecê-los melhor (e a parte ainda melhor disto tudo é que de facto a maioria parece ser boa gente e divertida).
O carteiro que toca à porta com as minhas sapatilhas novas.
O fim-de-semana que está aí à porta.
E eu a começar a começar a acreditar que, não tarda nada, até no trabalho vou conseguir sentir-me feliz.

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Aquele dia da semana


Em que o despertador toca às 05h55 e tu saltas da cama com mais energia e boa disposição do que quando ele toca às 7h45. 
Olá Lisboa =)!

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Vício do momento


Os meus finais de dia ultimamente têm se resumido a isto: ginásio depois do trabalho, chegar a casa tarde e a más horas, e alapar o rabo no sofá a ver um episódio de How to get away with a murder. Faltam-me três episódios para acabar a segunda temporada e aquilo está cada vez mais emocionante (ou não fosse obra da Shonda Rhimes). É verdade que tem a sua vertente novelesca (ou, mais uma vez, não fosse obra da Shonda Rhimes) mas eu gosto. Muito.

terça-feira, 10 de maio de 2016

Caí em tentação

E fiz as minhas primeiras compras fúteis de 2016. É verdade, ainda não tinha comprado roupa este ano (tenho canalizado quase todos os trocos para a casa nova) e quando comprei...deu-me para a de desporto. 
Desde que ando no novo ginásio, e sendo ele a dois minutos de carro de minha casa, acabo por lá ir ainda mais vezes do que ia em Lisboa. Conclusão: tenho treinado umas 5 vezes por semana, e já não posso ver a minha roupa de treino à frente. Não é que seja feia nem que já não esteja em bom estado, mas estou tão fartinha de repeti-la todas as semanas. E pronto, pus-me a passear pelo site da H&M e não resisti a estes dois pares de leggings (acho que não tinha um par de calças com padrão para aí há 20 anos).



E ainda perdi a cabeça e comprei umas sapatilhas. Estava na dúvida entre umas Adidas Stan Smith todas brancas, e estas Yurban, que encontrei no site da Spartoo, que têm um pormenor prateado atrás. A diferença de mais de 30€ no preço ajudou-me a decidir por estas.


Agora é esperar impacientemente que as encomendas cheguem às minhas mãos.

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Do fim-de-semana

Pois parece que o senhor S. Pedro achou que já nos tinha dado sol em doses suficientes nas últimas duas semanas, e toca de nos brindar com um fim-de-semana carregadinho de chuva. Mas não foi por isso que deixei de aproveitá-lo. Mas entre portas (que remédio).
Houve tempo para leituras, séries e para adiantar mais umas coisitas na decoração da casa nova.


Na tarde de sábado fui ao ginásio fazer uma aula de Zumba que mais parecia uma festa. Eu tinha receio de, por ser sábado, sermos poucos gatos pingados na aula. Qual quê? Estava à pinha, com um professor e alunos super bem dispostos, e quando chegámos ao fim, à música de relaxamento, o professor (do qual eu já sou fã) pôs um sorriso maroto e pôs a tocar uma música cujo título (e basicamente 90% da letra) era nem mais nem menos do que... "Que se fod@". Juro! (se fosse em Lisboa era despedido...ahah).
No domingo cumprimos o nosso "ritual" semanal de conhecer um novo espaço e fomos almoçar a'O antigo carteiro, no Porto.


Não é barato (pagámos 45€ para os dois por um copo de vinho, uma água, dois pratos e duas sobremesas) mas valeu cada tostão. Gostámos muito do atendimento e ainda mais da comida. Eu pedi um bacalhau com broa, o senhor namorado pediu vitela no forno. Estavam os dois tão bons (a carne só me fazia lembrar os cozinhados da minha avó, o que é um elogio e tanto). Para sobremesa ele pediu um pudim de ovos e eu uma tarte de lima. Só de me lembrar começo a salivar. Delicioso!

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Bipolaridade de sotaques

Foto tirada na minha Madeira.

- Você é de onde?
- Sou madeirense.
- Mas não tem sotaque nenhum!

Não é que eu concorde que já não tenho sotaque madeirense. Ainda digo muitas palavras de uma forma que "denuncia" a minha origem. Mas quando saí da Madeira, perguntei-me se algum dia isso aconteceria. Quase doze anos depois, parece que está a acontecer (e eu sinto qualquer coisa como um bocadinho das minhas origens a me ser "arrancado").

[Às vezes estou a falar com o meu pai e digo certas palavras em "continental" e ele corrige-me em tom de brincadeira e diz para eu falar como deve ser. Outras vezes estou a falar com o senhor namorado e faço o inverso - saio-me com termos ou pronúncia madeirense -, e ele diz-me o mesmo a brincar, para eu falar corretamente. 
E é isto a minha vida, uma bipolaridade de sotaques. Não tarda nada e vai-se a ver e a bipolaridade transforma-se em tripolaridade, quando (e se) apanhar o sotaque do norte =).]

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Companhia e final de tarde maravilhosos

Um mês depois da mudança, a nossa casa continua longe de estar com as condições todas que pretendemos (por exemplo, é um T3 mas ainda está em modo T1, porque ainda tem dois quartos completamente vazios) mas esta noite já albergámos o nosso primeiro hóspede: o senhor meu pai.
Ontem jantámos cedo num restaurante na zona ribeirinha (Adega de São Nicolau, onde comi um robalo grelhado que estava ótimo) e fomos para casa a pé. Tivemos a felicidade de fazê-lo à hora em que o sol se estava a pôr, com uma temperatura mesmo agradável, e deparámo-nos com um espetáculo lindo de se ver. 



Os meus leitores diziam-me e tinham toda a razão: estou cada dia mais encantada com esta cidade =).