terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Primeira viagem de 2015 em 3,2,1...

Um dos itens da minha "To do list", tendo eu nascido em pleno inverno, é passar um aniversário na neve. Pois parece que é este ano que isso vai acontecer. Vamos apanhar o avião para Genebra, onde vou aproveitar para encher os meus meus mini francesinhos de beijinhos (no início da viagem e antes do regresso), e nos entretantos vamos passar uns dias em Châtel, que neste momento está assim:

(imagem de ontem, da web cam do site oficial da cidade)

A ideia é estreamo-nos numa pista de ski e (de preferência) voltarmos com os membros todos intactos. Torçam por nós, sim?

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Daquilo que realmente importa


Uma pessoa está a acabar um dia de trabalho, daqueles em que está a fazer uma tarefa tão mas tão chata (e que já vem desde o início do ano. sim, estou a modos de cortar os pulsos) que volta a questionar, pela 19338ª vez, a vocação - que não tem nem nunca teve - para a profissão que desempenha.
Depois abre o e-mail e vê que acabou de receber uma mensagem de senhor pai-mais-maravilhoso-do-universo-e-arredores, daquelas carregadinhas de palavras que aquecem o coração, e em três tempos volta a sentir-se feliz e realizada. Porque tenho a melhor coisa do mundo (a melhor família e namorado que podia ter)*. Pelo que o resto... o resto, a bem dizer, não importa assim tanto.

*E tenho outra coisa, a curto prazo, que também vai tornar a semana bem menos chata que o habitual: tenho três dias úteis de férias para gozar, que começam amanhã ao final da tarde. Uma chatice :)!

domingo, 25 de janeiro de 2015

Coisas giras dos saldos que seriam muito bem recebidas cá em casa

Não fosse o raio da aposta que decidi fazer com senhor namorado, claro...

Pepe jeans

Pepe jeans

Mango (o top)

Mango

Mango

Mango

Tudo a metade do preço. Tudo miraculosamente ainda disponível no meu tamanho (para já, claro, porque quando eu puder comprar já não deve haver nada).
Estou oficialmente em sofrimento (sem os vestidos até passo muito bem mas os lenços... os lenços estão a dar cabo de mim).

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Das noites de sexta-feira




Até posso limitar-me (como acontece na grande maioria das vezes), a fazer o que faço praticamente todas as noites durante toda a semana (leituras e séries - a minha forma preferida de acabar o dia), mas têm sempre um sabor especial. Sempre.


Bom fim-de-semana, pessoas. O meu vai ser passado entre mimos de senhor namorado, livros, séries, e preparação da próxima viagem, que está mesmo aí à espreita. Só coisas chatas, portanto.

E o prémio namorado mais fofinho vai para...


Ele estava ao telefone com a mãe, que perguntou por mim. Resposta dele:
- Ela esteve constipada mas já está melhor. Agora está na fase do herpes. [é sagradinho comigo, após uma constipação aparece-me sempre um exemplar na boca ou no nariz]
A mãe diz-lhe qualquer coisa do género "Coitada, que chato.", ao que ele diz:
- Chato é para mim, que tenho que olhar para ela com aquilo na cara!...
É ou não é o homem mais romântico que o mundo já viu, este meu namorado?

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Da zumba

 
Em tempos um humorista português (não me lembro qual) disse que o Sh Bam (a aula de dança que eu faço há mais de um ano) é para quem chumba na zumba. E efetivamente tenho a dizer que a zumba (a? o? é feminino, não é?) é beeem mais complicada.
A última aula que fiz foi uma comédia tal que, quando acabava cada música, olhavamos umas para as outras (muitas de nós praticantes assiduas do Sh Bam, a maioria das quais nunca tinha tido qualquer tipo de interação) e trocavamos sorrisos cúmplices como quem pergunta "Está a correr tão mal a ti como a mim, não está? Não estou sozinha no desespero, pois não?".
Ainda para mais diz que não há coreografias fixas, pelo que a esperança de eu um dia ser boa naquilo é bastante reduzida. Mas eu ainda não perdi a esperança. Posso ainda ser ridícula por uns meses, mas nem que seja em 2016 eu hei-de conseguir fazer zumba com estilo. Ou pelo menos sem me atrapalhar a cada 5 segundos, vá.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Tomara eu ter metade do entusiasmo para trabalhar


Gosto tanto da minha aula de dança de terça-feira que sou capaz de fingir que não me sinto nada doente (não é nada demais, só gastei 3 pacotes de lenços hoje...) e que estou perfeitamente capaz de fazer uma aula.... Não fosse o facto de senhor namorado ter olhado de lado para mim esta manhã ao ver-me na internet a marcar a aula e perguntar, com um tom pouco simpático, se eu estava mesmo a pensar ir ao ginásio neste estado. (aqui entre nós, o que ele quer sei eu bem: quer usar a desculpa de eu estar doente para baldar-se ele também ao ginásio. mas tendo em conta que tenho uma viagem para fazer daqui a uma semana, acho melhor fazer-lhe a vontade.)

Mas perder o apetite que é bom, nada! Raios partam esta minha genética.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Precavendo o futuro (ou de como eu me preocupo com os meus leitores fofinhos)


Decorria uma conversa mórbida entre mim e senhor namorado, ao que eu lhe disse:
- Por falar no assunto, tenho que te dar a pass do meu blogue, para informares os meus leitores no caso de eu ir desta para melhor antes de ti.
Ao que ele, fofinho, responde:
- Algo do género "Informa-se que este blogue será encerrado por falecimento da autora"?
- Errrrrr... umas palavras fofinhas também ficavam bem... mas deixa lá, já vi que tenho que arranjar outra pessoa para tratar do assunto.
A modos que continua vago o posto de redactor do último post deste blogue (no caso de eu não me fartar dele antes de me acontecer alguma coisa, claro está).


Não estou com nenhum problema de saúde (pelo menos tanto quanto sei) nem gosto de pensar neste assunto com frequência. Foi a (elevada) quantidade de mortes precoces e inesperadas a que temos assistido nos últimos tempos que proporcionou a conversa.

sábado, 17 de janeiro de 2015

Alegria!


Diz que o ginásio que frequento vai passar a ter aulas de Zumba, e eu estou toda contente, pois claro. A estreia é hoje e eu armei-me em super mulher e inscrevi-me numa aula de rpm (de onde costumo sair meia ko) seguida de uma de zumba. 
Quer-me parecer que o resto do dia vai ser passado no sofá em modo recuperação. Ou então não... Vamos lá ver como a coisa corre.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Das boas intenções


Ontem, ao jantar, decidi fazer legumes salteados com salsichas de soja. Estava a acabar de cozinhar enquanto senhor namorado fazia um sumo de morango e uva. Virei-me para ele e comentei:
- Que saudáveis que nós estamos. Legumes, salsichas de soja, sumo natural...
Ao que ele me responde, estragando tudo:
- E eu que estava mesmo a pensar em juntar um bocado de gin ao sumo.
(...)
Depois do jantar, viro-me para ele e digo:
- Isto estava tão saudável que um chocolatinho pequenino não fazia mal, pois não?

Pois é, venha o diabo e escolha qual a mente mais pecaminosa lá de casa. Estamos bem um para o outro, é o que é.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Uma espécie de batota


Chatice das chatices, esta semana vou buscar as últimas compras que fiz via internet antes de começar a maldita aposta com senhor namorado: a minha mala cutxi-cutxi da Mango (que já mostrei neste post), e duas camisolas básicas de cores que me estavam a fazer falta.
É da maneira que vou sentir o último cheirinho a compras dos próximos tempos, que se avizinham longos. Sim, porque com uma viagem de férias para pagar dentro de um mês, cheira-me que a missão manter-me-longe-de-tudo-o-que-seja-loja vai prolongar-se por mais uns tempos (mas já sem apostas, porque eu recuso-me a ver as minhas fraquezas espezinhadas sem dó nem piedade por senhor crueldade namorado mais um dia que seja.).
Prioridades... diz que se chamam prioridades.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Leituras a bom ritmo

Ainda 2015 só tem 12 dias e já "despachei" dois livros (idas à terra de senhor namorado, com viagens infindáveis pelo meio, são sempre uma boa ajuda).

Eu comentei com uma colega que tinha saudades de ler um livro daqueles que é difícil parar. Ela emprestou-me este triller, que mereceu 4 estrelas da minha parte no Goodreads. Adoro ser surpreendida com o desenrolar das histórias, e isso aconteceu com "Irmã". Gostei muito.

Num registo completamente diferente, estreei-me a ler Chico Buarque com este "Budapeste". Não é o género que mais me prende, mas gostei.

Agora segue-se este, que foi uma prenda de Natal tardia e inesperada, e em relação ao qual tenho grandes expectativas:


sábado, 10 de janeiro de 2015

Agora aguenta e não chora


Num acesso de descontentamento comigo própria por andar a gastar demasiado dinheiro em roupa, disse em voz alta que este mês não ia gastar nem mais um tostão em trapos, mesmo que me apareça à frente a oportunidade-de-saldo-mais-apetecível-da-história-dos-saldos. Senhor namorado riu com ar de desdém e disse "Sim, sim...". Pelo que eu, do alto do meu orgulho feminino, decidi fazer uma aposta com ele em como conseguia tal feito. 
Um mês sem comprar roupa. Parece pouco tempo, eu sei, mas o fruto  proibido, estamos fartos de saber, é sempre o mais apetecido. Mas ele não se vai ficar a rir de mim. Ai não vai, não senhor!


Para além desta, fizemos mais uma série de apostas com base nas fraquezas de cada um. A modos que se avizinham tempos de sofrimento lá por casa...

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Mundo de merda, este!

Uma pessoa já está em choque por causa do que aconteceu em Paris. Depois tem a brilhante ideia de ler os comentários a outra notícia, completamente diferente mas também  triste, de que a esposa do Passos Coelho está com cancro, e lê com cada comentário  que só pode mesmo pensar uma coisa: mundo de merda este em que vivemos. Estamos rodeados de montes de lixo com pernas. Mesmo.

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Vaidade, a quanto obrigas...

Rapei frio nos pés o dia todo porque, trabalhando eu num edifício centenário, gelado e sem aquecimento, decidi mesmo assim que tinha que estrear a minha aquisição mais recente, a qual não combina com botas e afins (pelo que lá tive que calçar uns sapatos de salto alto).


Se o tempo continuar assim, voltas a sair à rua lá para finais de Março, sim =(? Coisa mais linda da sua dona.