quarta-feira, 21 de julho de 2010

"Ele não faz nada, não se preocupe"*


Ah pois não que não faz...até o dia!
E eu sou obrigada a ser toda lambuzada pelo bicho só porque ele não morde? Sim, porque para mim "não fazer nada" é manter a distância, sem contacto físico.
E, já agora, como é que sabem que ele não faz nada? Se eu já pus as mãos no fogo por seres humanos e me arrependi, porque é que hei-de fazê-lo por um ser vivo que nem racional é? Desculpem a frieza do discurso mas é um facto.
E mais, se eu não tenho um cão em casa porque é que tenho que ser obrigada a levar com o dos outros? E nem é não gostar. Tenho que confessar, até de cães minúsculos eu tenho medo, principalmente daqueles  diabinhos saltitantes que não páram quietos por um segundo. São os piores.

*Ou: É desta que fico a escrever para o boneco. Que me perdoem os amantes da espécie, ou seja, provavelmente todas as pessoas que passarem por aqui hoje e que me vão odiar por este post (eu já li num blog que quem não gosta de animais não é bom da cabeça...), mas têm que perceber que as pessoas não gostam todas do mesmo, e as minorias também merecem respeito.

15 comentários:

  1. Hmmmmmm, isso é falta de hábito. Já lhes olhaste nos olhos?

    Eu adoro fumar um cigarro com os meus, ali quietos, sentados ao sol... ahhhhh tão bom!

    ResponderEliminar
  2. Sinceramente, não compreendo que não gostes muito de cães. Mas respeito.

    Agora, também te dou razão quando dizes que pode ser até ao dia. Eu também não ponho as mãos no fogo pelo meu próprio cão e detesto quando, por exemplo, o meu pai diz a determinada pessoa que "Ele não faz mal!". A nós nunca nos fez nada e mais meiguinho que ele também nunca conheci, mas com desconhecidos pode não ser bem assim. Não vá o cão passar-se da marmita...

    ResponderEliminar
  3. Eu adoro animais e acho que quem não gosta deles não bate todas. Mas que tu não bates todas já eu sabia e eu continuo cá a vir por isso não é por este post que vou deixar de vir! É a tal coisa de respeitar as minorias! :)

    Kiss kiss

    ResponderEliminar
  4. Lampâda mervelha, falta de hábito? Não me parece, já fui obrigada a viver com um durante 7 anos e nem mesmo assim me habituei.

    MRPereira: e vocês a lhe dar com essa de quem não gosta de animais não bate da bola. Primeiro eu não disse que não gosto de animais, disse que tenho medo de cães, é diferente.
    Agora se disseres que eu não bato da bola por qualquer outro motivo só tenho que concordar contigo :p.

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  8. Gelatina, todas as pessoas têm medos e traumas na vida...é possivel na tua infância teres vivido ou assistido a algum episódio com cães que te criou esse medo...E digo-te, como grande amante de animais que sou, e sempre fui desde pequenina, acho que é algo normal...e foi de grande coragem admitires isso sabendo que ias ter meio mundo contra ti...
    Ter medo e não querer estar perto de animais é uma coisa, maltratá-los é outra coisa...e se és do tipo de pessoa que não gosta mas que não lhes faz mal, não existe mal nenhum nisso...

    ResponderEliminar
  9. Ups...o meu comentário apareceu 4x quando tentei corrigir uma palavra...podes apagar se quiseres ;)

    ResponderEliminar
  10. Apaguei porque podias preferir mas não tem problema nenhum, já aconteceu com quase toda a gente, aposto =). A mim já.

    Já agora, maltratar nunca, quem me conhece sabe que não faço mal a uma mosca, mesmo, e tenho muita pena dos animais que são maltratados. Antes não os ter do que tê-los para isso!
    Beijos

    ResponderEliminar
  11. Gelatina eu sou como tu: tenho um medo terrível dos cães. Uma vez quando tinha uns 7 anos o cão do meu padrinho mordeu-me e desde então que eu tenho um certo pavor a cães. mesmo sendo pequenos.
    So há um cão com o qual eu "socializo" de forma mais ou menos saudável: o cão da irmã do meu namorado. E mesmo assim, há dias...

    ResponderEliminar
  12. Miss Royal,

    Não deixa de ser interessante esse teu não "à vontade" com os cães.

    ResponderEliminar
  13. É muito mais racional confiar num ser não racional, como lhes chamas do que confiar num ser que supostamente é racional e muito muito muito superior.
    Para mim quem não gosta de cães, lá está não bate bem da cabeça. Já experimentaste dizer à senhora que não gostas de cães ou que tens medo???? Secalhar era mais fácil. Como deves imaginar, ou não, o cão sente que não estás à vontade e tenta mostrar-te que podes confiar nele, é assim que eles funcionam, o que não significa que não existam cães extremamente agressivos, mas concerteza não o são por culpa deles.
    Peço desculpa pelo comentário, mas frieza relativamente a animais é coisa que não me cai nada nada bem.
    Mas o blog é teu, as opiniões são tuas e como é óbvio o meu dever é respeitá-las.

    ResponderEliminar
  14. Ei, amiga!

    Entendo vc, porque já tive certo receio. Agora, com a Mel aqui em casa, estou completamente apaixonada por animais... Enquanto escrevo, aqui está ela, me lambendo como quem diz: "Saudade de vc..." Mais fiel não há!! rs

    Bjs, amiga!!

    Lu

    ResponderEliminar
  15. Hehe,o meu cão é mesmo desses pequenotes que gosta de cumprimentar as pessoas com pulos, roçadelas,lambidelas e afins...confesso que se fosse um pouco maior,e talvez de outra raça,já não me atrevia a brincar com ele como brinco... Já tive outros cães cá por casa e fazia-lhes umas festinhas de vez em quando e já se podiam dar por muito contentes :)
    É uma questão de gostos...e gostos não se discutem!

    ResponderEliminar