sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

O nosso dia mágico na Disneyland Paris

Deixámos a ida à Disney para o nosso último dia completo por Paris. Apanhámos o comboio para Marne-la-Vallée (custa 15€ por pessoa, ida e volta) e por volta das 10h e pouco estávamos a chegar.
Não foi a minha primeira vez na Disney, mas foi a primeira nesta altura do ano. Havia decorações e espetáculos de Natal, dando um encanto ainda mais especial ao parque.




Cá está um dos muitos espetáculos de rua, com música e personagens natalícios, que teve direito a neve (falsa) e tudo. Muito, muito giro.



Uma pessoa entra nas lojas e apetece comprar tudo: é fofura atrás de fofura.




A ida à Disney só aconteceu porque eu fazia muita questão, porque o senhor namorado dispensava bem a visita. E eu então achei que devia fazer um especial esforço para fazer com que aquele gostasse daquilo pelo menos em 50% do quanto eu gosto. E então tentámos procurar as diversões mais adultas (sendo que eu só fazia questão de andar em duas diversões mais infantis: o Small World (acho a coisa mais fofa) e o Peter Pan (a minha diversão preferida da Disney desde sempre).
Na parte da manhã praticamente não havia filas para andar em nada pelo que "despachámos" logo o Pirata das Caraíbas (muito giro) e a montanha russa do Indiana Jones. Quanto a esta última, eu tinha uma vaga ideia de que aquilo tinha um looping (volta completa, em que ficamos de cabeça para baixo) e, assim sendo, não sei se me apanhariam lá (sou uma medricas do pior nestas coisas). Acontece que - mesmo havendo a interdição de entrada a crianças com menos de 1,40m (e o senhor namorado armou-se em engraçadinho e perguntou ao rapaz se era preciso medir-me para ver se eu podia lá andar) - pensei que, se deixavam entrar crianças, não haveria de ser assim tãooo violento. Pois era. E ainda bem que eu não sabia ao que ia, porque apesar de ter gritado pela minha vida a viagem toda, foi espetacular. Tão bom! (mas é coisa para se fazer antes de comer, senão pode não correr tão bem).


Ao almoço, como não me apetecia comer cachorros quentes a preço de comida decente, decidimos seguir uma dica que tinha lido nos comentários de outro blogue e saímos do parque para ir ao italiano Va Piano meso à entrada dos parques. E foi uma ótima opção. Por uns 15€ por pessoa comi um belo risotto, num espaço calmo e agradável. 


Na parte da tarde as filas já eram maiores, e nós - burros - achámos que a entrada "fast track" era para pessoas com bilhetes especiais, e não uma possibilidade de fazer uma espécie de marcação para andar no divertimento mais tarde (já tinha usado este sistema quando lá fui em 2009 e - burra! - não me lembrava como funcionava), pelo que lá esperámos 50 minutos para andar na Montanha Russa (Big Thunder mountain), mas valeu a pena. É quase tão bom como o Indiana Jones. De resto, perdemos o Peter Pan (esteve avariado durante a tarde), andámos na Casa Assombrada (fraquinha), no Small World e na Branca de Neve (engraçadito).


Já cansados ao final da tarde - e porque a maioria das diversões encerrava às 18h - não esperámos pelo espetáculo com fogo de artifício que há às 19h e lá regressámos ao comboio, antes da confusão pós-espetáculos. 
Foi um dia tão, mas tão feliz!

3 comentários:

  1. Sou sincera, já lá estive, gostei e agora o marido queria ir, que nunca foi.
    Mas acho isso muito mais para os miúdos.
    Mas é uma viagem a pensar =)

    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Para a próxima tens de experimentar o Buzz Lightyear, é tão fixe!!! E no parque dos estúdios, o Ratatouille e a montanha russa do Nemo (não é assim que se chama, mas foi inspirada numa cena do filme). Nunca fui à Disney no Natal, mas deve ser mágico (=

    ResponderEliminar
  3. So fui uma vez à Disney e ando ansiosa por lá voltar com os miúdos! Eu sou super mega fã! :)

    ResponderEliminar