sexta-feira, 24 de março de 2017

Piropos inspirados (e muita modéstia à mistura)



Aquele momento em que um homem de aspeto duvidoso se aproxima de ti e tu pensas "Será que é desta que me vão oferecer droga?" [é que já assisti n vezes a cenas do género à minha volta na Baixa mas a mim nunca me perguntaram, e eu até já me pus a pensar que devo ter um ar demasiado angelicar para acharem que nem vale a pena perderem tempo comigo, mas adiante] e te dizem:
- Se eu não fosse casado, partia-te toda.
Ninguém merece, a sério. Todo um potencial de homem desesperado para se render aos meus encantos e vai-se a ver e é casado e ainda por cima fiel, arruinando toda e qualquer hipótese de vivermos uma história de amor tórrido e escaldante. Esta minha vida é injustiça atrás de injustiça, é só o que vos digo.

6 comentários:

  1. hahah que horror!
    Vá lá que levaste isso tudo na desportiva, ai meu Deus...

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu aqui estou a brincar com a situação, mas a minha primeira reação foi ficar cheia de náuseas...este comentário é de muito baixo nível, credo!
      Beijinho

      Eliminar
  2. Ahahahaha! Só azar junto! ;)

    https://jusajublog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Ahahah, existem pessoas tão parvas que se torna divertido.

    ResponderEliminar
  4. Do mais baixinho que existe! Que tristeza. As coisas que uma mulher ouve...

    Conterrânea M.

    ResponderEliminar